sábado, 1 de novembro de 2008

Síndrome de monotonia cotidiana


A SMC é uma síndrome diagnosticada por mim, um estudioso sobre o nada. Ela se manifesta em pessoas que têm suas vidas totalmente sem graça. O causador da doença é uma reação psicossomática chamada rotina. Esta está intrinsecamente ligada a vida de um sujeito como um parasita. Essa síndrome se manifesta em pessoas que possuem uma conta bancária irrisória, que são desprovidas de uma beleza homérica e sempre estão fadadas a um cotidiano do qual elas não conseguem fugir. Imagine um sujeito que trabalha a semana inteira, pega o mesmo ônibus, vê as mesmas pessoas, ouve as mesmas reclamações do seu chefe, come no mesmo lugar, sempre com o mesmo preço do seu almoço, voltar para casa na mesma hora, atura a mesma esposa, com as mesmas reclamações, vai dormir na mesma hora para acordar cedo no outro dia e viver tudo novamente da mesma forma. Isso parece assustador? A Síndrome de monotonia cotidiana não afeta só as pessoas que têm suas vidas já estruturadas, mas sim qualquer sujeito que não tem o poder de fazer tudo diferente a cada dia. Você não pode mudar de emprego sempre, não pode pegar conduções diferentes todos os dias para chegar em casa, nem mudar de esposa toda vez que ela se transforma na sua mãe. A sensação de falta de atitude é um dos sintomas mais torturantes da SMC, pois não há como reagir a ela de forma em que você mude totalmente a sua rotina. Tudo o que acontece é você sair de uma rotina para entrar em outra. Se um sujeito pensa que ficando solteiro vai conseguir mudar totalmente a sua vida insípida, ele está redondamente enganado. Ou ele volta para a casa dos pais e atura a mesma ladainha da mãe ou mora sozinho e volta a passar pelos mesmos problemas de carência de quando estava solteiro. Porque a SMC só afeta os menos favorecidos economicamente? Porque você não pode ir às compras no shopping center toda vez em que estiver deprimido. A SMC afeta o sujeito até mesmo fisionomicamente, deixando-o com a famosa "cara de nada". Ela é uma doença cujo único meio de cura é feito por meios financeiros. Ou você acha que um sujeito que come caviar todos os dias, bebe o mesmo whisky Johnnie Walker, compra roupas nas mesmas lojas de grife, visita as mesmas cidades européias todos os anos, transa com as mesmas modelos, vai para as mesmas festas badaladas, e sempre está com a mesma cara de modelo da Calvin Klein, vai reclamar da vida?

7 comentários:

Isis disse...

É a parada é virar rico. Rs..
Fikar na triste vendo Paris é bem melhor do que fikar trsite olhando pah baia de Guanabara.

Deliciousparty disse...

hahaha gostie disso...

é a gente se acostuma com a rotina.. como diz marina colassanti... mas não deveríamos!

vitor disse...

eu reajo ao tédio lendo a comunidade da ulc XD

Vanessa disse...

Olá João.
Como eu disse,passei e adorei a sua crônica.
Parabéns!
A rotina é o início do tédio e geralmente as pessoas só se dão conta disso qnd já estão entediadas...
Bjão

loreandthecity disse...

dels, tava comentando isso hoje com vc joãozito. rs. cara eu acho que fui diagnosticada com a SMC hahaha. tô pobre! hahaha.

Marília. disse...

Talvez até reclamem — e eu digo talvez porque não conheço nenhum ricaço, mas de coisas "menos" importantes: o sol está batendo demais em minha janela, acho que vou mudar de casa; quebrei a unha; não comprei aquela bolsa baratinha de 5 mil reais. Essas coisas super comuns.

luane disse...

João, acredito q tenha faltado uma análise mais apurada com relação a SMC, talvez ela esteja relacionada a uma doença muito comum na sociedade judaico cristã ocidental contemporânea rs q é a cegueira do vital, essa cegueira atinge geralmente as pessoas mais materialistas e corajosas, pois se arriscam a desejar tdo q é superficial e passageiro em detrimento de pequenos fatos possivelmente rotineiros sem os quais nossas vidas não fariam sentido. Essa doença extramamente perigosa tem apresentado vários graus de desenvolvimentos... para saber se vc está sendo afetado por esse mal do século basta fazer uma reflexão sobre uma frase extraída de um livro do Antoine de Saint-Exupéry chamado o pequeno príncepe. "O essencial é invisível aos olhos." Se vc consegue perceber q a estrada vai além do q se vê e consegue entender a essencia das pequenas coisas da vida, então vc ainda não foi contaminado. Caso contrario, mesmo com dinheiro pra consumir tdo q o ele pode pagar (sejam roupas, marcas, beleza, status ...) certamente não preencherá o vazio q a SMC te causa. Se preenchesse esse vazio tão mortal a Suíça não teria um índice tão alto de suicídio.